• 1
  • 2
  • 3
  • 5

Historia

Em 1937, Sáenz Peña encenou uma seca angustiante, que o município solicitou assistência ao governo nacional. Este enviou uma equipe de broca que trabalhou no bloco 60, que era então uma praça. A água obtida foi classificada como “não potável” e é alocada para a irrigação das ruas. nosotros_img

A seca foi superada como tantas outras, de acordo com a comunidade católica com a chegada de Don Orione, enquanto a água proveniente do poço do bloco 60 coçava todas as superfícies de folheado, incluindo caminhão de água. Em 1941, a água foi discutida por vizinhos correndo pela sarjeta em direção à Avenida 28 – deixando-o sal branco – dando a oportunidade aos moradores de descobrir suas virtudes curativas (um cão com Escabiose foi curado em poucos dias, cujo proprietário, banho na sarjeta). Imigrantes checos compararam-nas com outras de características semelhantes em seu país. O engenheiro Viapiano, que veio a construir o Mercado Municipal, também alertou para possíveis propriedades.

Finalmente o secretário municipal, Julio Oscherov, chamou a atenção para o prefeito, Dr. José Pavlotzky, que conduziu pessoalmente um garrafão de 10 litros de água para Bs. As. para sua análise. Foi então que os “saenzpeñenses” sabia que tínhamos águas de cura em Sáenz Peña. Viapiano construiu o primeiro banho, consistindo de um pequeno quarto. Pavlotzky, socialista, médico, sonhou para a cidade grande projectos relacionados com termas.